Viagem missionária mostra consolidação de projeto no sudeste da África

ZIMBÁBUE – O Zimbábue, país com catorze milhões de habitantes, recebeu a visita dos pastores Nerival Accioli (Mauá) e Flávio Pena (Campo Limpo Paulista).

Após 15 horas de viagem, os pastores foram surpreendidos, pois os irmãos estavam desde às 09h00 aguardando a chegada deles para realização do culto. Depois de cinco horas de espera, os pastores que fazem parte da presidência do CONAMPE chegaram ao local, onde foi realizado um grande culto de louvor a Deus. Os irmãos permaneceram fiéis, sentados, adorando a Deus. Depois do culto os pastores seguiram viagem cruzando o país de carro em direção a Moçambique.

A igreja em Zimbábue nasce de forma sadia e ordeira, dando sinais que se estenderá conforme as promessas de Deus. O trabalho está sob a responsabilidade do pastor Hlupeki Mahubaba.

MOÇAMBIQUE – A República de Moçambique recebeu a EBFO África 2015 na região de Messica. Houve a participação das crianças do orfanato Doce Lar, e também a participação musical da mocidade de Chirodzo, Catandica, Messica e Garuzo, além do círculo de oração e crianças.

No trabalho foi empossada a presidência nacional de Moçambique. O encerramento da Convenção e Escola Bíblica foi feito através de uma linda cruzada evangelística em um campo de futebol, na qual aproximadamente sessenta pessoas aceitaram a Jesus.

A gratidão da igreja moçambicana foi tão grande, que ao término da escola bíblica os irmãos de diferentes províncias trouxeram ofertas e presentes para de alguma forma externar a gratidão. A região de Catandica se destacou trazendo um cabrito para a refeição dos participantes, como sinal de gratidão pelo abençoado evento.

O trabalho em Moçambique apresenta sinais de crescimento e está sob a responsabilidade do pastor Salomão Bitone.

MALAWI – O Malawi, que faz fronteira com a Tanzânia, Moçambique e Zâmbia, segue em franco crescimento sob a liderança do pastor Stanford Semba. Foi realizada a Escola Bíblica Fraternal de Obreiros e cruzadas em Nchalo e Matimati.

A EBFO no país foi uma bênção e ao término houve uma cruzada evangelística em Nchalo onde mais de trinta pessoas aceitaram a Jesus.

A viagem para Matimati foi um tanto desafiadora. Depois de andar em estrada de chão por 75 km, em uma situação muito difícil, atravessando doze rios nas costas dos atravessadores, pois as pontes foram destruídas pelas chuvas. Foi necessário andar ainda 30 km na garupa de uma bicicleta para chegar ao destino final, mas ao chegar os pastores foram coroados com a alegria do povo. A gratidão não foi somente pelo socorro enviado para ajudar os irmãos após as fortes chuvas, mas também por compartilhar o evangelho com eles.

Para fechar com chave de ouro foi realizada uma cruzada em Matimati na qual 81 vidas se entregaram a Cristo.

O sentimento de gratidão foi visível em todas as províncias, em todas as faixas etárias, desde crianças até os mais velhos, externaram com cânticos, danças e ofertas sua gratidão.